fbpx >

Tá, mas vamos colocar o Cálcio em 60%.

Quando falamos de cálcio para o solo já o associamos ao calcário. Um pouco pela familiaridade óbvia do nome do corretivo e outro pelos anos e anos que olhamos para esse potente fertilizante como fonte deste nutriente. Sim , eu escrevi fertilizante!

Olhar para esse produto como Fertilizante pode mudar os patamares da nossa agricultura das Médias, e também estamos na agricultura de Alto rendimento, Altas Produtividades.

As observações do dia a dia me mostram que ainda estamos querendo atingir altos patamares fazendo o que já não resolve mais. Comprar uma nova variedade que deu certo no vizinho, aquela que colheu o campeão de produtividade…

Vai dizer que, como técnico , nunca ouviu isso?

Tá, mas agora Vamos trabalhar no detalhe dos níveis de cálcio.

Vamos ao que interessa: NC= T(V2-V1)/PRNT

Volto a repetir que fazer recomendação de calagem, pensando em alto rendimento, considerando V% como sendo um número mágico que por colocar na formula de Necessidade de Calagem já teremos um balanço adequado de Ca/Mg, pode gerar uma dor de cabeça muito maior que fazer não fazer calagem alguma.

Considerar o V2 da fórmula de maneira geral, por exemplo, sem considerar as saturações individuais de cada Base do Solo ( Ca,Mg,K), pode ser o maior limitante da nossa resposta produtiva.

Comentei em outro post que “Tem-se desconsiderado que cada base tem um nível de saturação específico e ideal para entregar um melhor equilíbrio e por consequência maior rendimento Produtivo.”

Uma preocupação tem sido o cálcio, que mesmo em níveis baixos nos mantemos usando nosso velho amigo Dolomítico. Já falei sobre o Mg e sua relação, mas quero tratar sobre ter resultados extremamente satisfatórios com Ca a 60% de saturação.

-Isso é saturação para algodão!

– Isso é impossível na minha área !

E finalmente a melhor de todas : Como faço isso?

Não me aterei as práticas operacionais mas à base antes das operações. Os cálculos.

Para chegar aos 60% uso a seguinte equação:

 (0,6 *( T-Ca) )*560),

Onde o “0,60 é o 60% de saturação adequada;

T é a CTC em cmolc/dm3 assim como o Ca;

E o “560”é o fator de correção de CaO, levando em conta seus devidos pesos moleculares e valências, para incorporação a 20cm de solo em 1 ha , ou seja, o resultado sai em kg de CaO por ha.

Ao encontrar a dose adequada de Ca para nossos 60% (podendo chegar a 65%, mas vamos por partes) , avaliamos se relação com Mg se mantém entre 3 -5/1, sem esquecer o quanto a CTC é capaz de suportar.

-E o que acontece com o pH e Alumínio toxico ?

Ao aumentar as saturações, portanto, temos naturalmente as suas correções e estes passam a ser indicadores da nossa eficiência.

Sendo assim entender como cada Base do solo vai se tornar a Base para resultados mais significativos , altos, compensatórios e Lucrativos, passa pela análise e recomendação detalhada, cirúrgica, de cada “Furinho do Balde”

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

3 Comentários

  1. Pequeno.

    Muito bom o seu texto.

    Parabéns pelo trabalho e pela iniciativa.

    1. Muito Obrigado Marcos.
      Se quiser enviar algum tema que ache pertinente para tratar aqui no site ficaremos felizes.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.