/22062795529,22830878229/www.agrotecnico.com.br/www.agrotecnico.com.br_web_stories_4742 google.com, pub-1692112831184972, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Como avaliar a qualidade de sementes

qualidade de sementes

Você sabe como identificar a qualidade de sementes da sua lavoura? Acesse este artigo e descubra um passo a passo.

Ter sementes de qualidade é um dos principais objetivos de agricultores e produtores rurais.

É indescritível a sensação de olhar para uma lavoura crescendo de forma saudável, e perceber os indicadores de produtividade aumentarem.

Para conseguir esse resultado, no entanto, é preciso desenvolver um dedicado trabalho, cuja base está na avaliação de sementes de qualidade e no estímulo à melhoria dessa qualidade.

Neste artigo vamos refletir sobre essa temática, abordando os elementos da qualidade de sementes, como realizar a avaliação adequada dos índices considerados ótimos e, por fim, o impacto disso na produtividade.

Elementos da qualidade de sementes

Para conseguir sementes de qualidade e, por consequência, uma lavoura de alta performance, é preciso antes conseguir identificar quais são as melhores sementes com grande potencial de desenvolvimento.

Na realização dessa identificação estão alguns dos elementos que influenciam o resultado produzido por cada semente.

De forma geral, esses elementos são invisíveis aos olhos, mas precisam ser avaliados e identificados.

Conheça, a seguir, os quatro elementos que definem a qualidade de sementes:

Genética

A qualidade genética é o primeiro pilar do que constitui a qualidade de sementes. Ao observar essa questão, já estamos no princípio do estabelecimento de sementes de qualidade.

A avaliação genética deve ser feita a partir de instrumentos e técnicas próprias para isso. Dentro da realidade genética, serão acompanhados elementos como ausência de mistura varietal, potencial de rendimento e resistência a insetos e doenças.

As características genéticas não são criadas por qualquer processo que porventura possa ser desenvolvido.

Pelo contrário, tais características são totalmente intrínsecas e, no processo de qualidade de sementes, devem apenas ser usados como filtros para identificação das melhores sementes.

Física

Um segundo elemento diz respeito a uma questão mais palpável do que a presente no elemento anterior: a realidade física.

Alguns fatores que determinam a qualidade física podem ser observados a olho nu, mas não todos. Nesse último caso, a utilização de materiais e ferramentas especiais pode ser bem útil.

Entre os fatores analisados, podemos destacar:

  • pureza física;
  • teor de água;
  • tamanho;
  • danos mecânicos e causados por insetos.

Sanitária

Em terceiro lugar podemos destacar a qualidade sanitária, que determina a condição das sementes com relação à presença de fungos, vírus ou bactérias.

Sementes de qualidade são aquelas que contam com o menor número possível desses seres as influenciando.

Dar atenção à qualidade sanitária é uma maneira de evitar a propagação, entrada ou despertamento de doenças em determinadas regiões.

A qualidade sanitária é determinada a partir de levantamentos em laboratório, com equipamentos especiais utilizados para essa finalidade.

Fisiológica

Por fim, a qualidade fisiológica também é uma excelente maneira de identificar sementes de qualidade.

As características fisiológicas estão relacionadas com o metabolismo das sementes, que está relacionado também à produtividade.

Entre os fatores que integram a qualidade fisiológica, podemos destacar: o vigor e a germinação.

Esses fatores precisam estar elevados para garantir não apenas boas sementes, mas lavouras exuberantes e produtivas.

Como avaliar corretamente a qualidade de sementes

Para te ajudar a identificar as sementes de qualidade dentre as que estão disponíveis para você, o Agrotécnico preparou uma passo a passo com algumas dicas bem práticas e simples de aplicar.

Ao segui-las, você terá um diagnóstico completo e real da qualidade das suas sementes. Confira:

1.º passo: Amostragem do lote

A primeira coisa a ser feita é colher uma amostra do solo. Essas amostras serão enviadas para um laboratório que realiza análises em sementes.

Naturalmente, não será todo o solo que passará pela análise. É por isso que a amostra deve ser representativa, ou seja, referir-se a toda a extensão do solo. Para conseguir isso será preciso seguir o esquema a seguir:

2.º passo: Escolha da embalagem após amostragem

O envio das amostras de solo é um passo importante na definição da qualidade das sementes.

Esse envio deve ser cuidadoso e, em primeiro lugar, preocupar-se com a embalagem, que deve ser de papelão ou estar em um saco de lixo bem reforçado.

Além disso, a embalagem precisa conter as informações necessárias à identificação, como o nome do produtor e as avaliações que devem ser realizadas.

3.º passo: Testes

O terceiro passo será executado não pelo produtor, mas pelo laboratório contratado. 

Os testes executados pelo laboratório são:

  • germinação;
  • pureza;
  • grau de umidade;
  • verificação de outras sementes;
  • cultivares;
  • testes de vigor;
  • envelhecimento acelerado;
  • teste a frio;
  • teste de tetrazólio.

Os últimos três testes citados devem ser executados apenas em determinadas sementes de culturas.

4.º passo: Canteiro teste

Por fim, deve ser realizado um canteiro teste, com a terra coletada na lavoura, na camada de 0 – 20 cm de profundidade. Sulcos de 3 cm de profundidade serão abertos para receber as sementes para o teste.

Influência de sementes de qualidade na produtividade

Com tudo o que dissemos até aqui, é bem possível que surja a questão: ora, como a qualidade de sementes influencia na produtividade?

É muito simples: sementes com essas características geram lavouras mais poderosas e produtivas. Falando assim parece simplista, mas é a realidade.

Abordando de forma técnica, no entanto, temos os seguintes parâmetros de qualidade:

  • a genética determinará a resistência a pragas e insetos;
  • a física aumenta o vigor das sementes e, portanto, da produção agrícola;
  • a sanitária otimiza a viabilidade das sementes, evitando perdas após o plantio;
  • por fim, a fisiológica, que melhora o desempenho das plantas após a plantação.

Conclusão

Neste artigo compreendemos quais são os elementos que definem a uma boa sementes (genética, fisiológica, física e sanitária).

Também disponibilizamos um passo a passo para avaliar a qualidade de sementes e, por fim, destacamos os impactos na produtividade.

Quer conferir mais conteúdos riquíssimos como este? Continue navegando em nosso blog.

Gostou? Então compartilhe nas redes