fbpx

Os 6 efeitos da calagem

Calagem: Efeitos, reações no solo, porque devemos realizar calagem toda a safra e muitas outras informações!

Os solos brasileiros são caracterizados em sua maioria por ter um grau de acidez e alumínio, o que é tóxico para as plantas.

Por isso essa técnica que tem efeito comprovado na melhora da produtividade das lavouras, como já é bastante conhecido e difundido.

Mas você sabe todos os efeitos da calagem? E os conceitos dessa prática?

Então vamos a seguir relembrar algumas definições que vão te ajudar a melhorar o manejo do seu solo ou mesmo ir melhorar seu desempenho nessas aulas da agronomia:

O que é pH do solo?

Entender o pH do solo é essencial para quem quer fazer uma boa calagem e um bom manejo do solo em busca de uma maior produtividade naquela área.

O pH do solo nada mais é do que um é uma medida da concentração de íons hidrogênio na solução do solo. Em soluções aquosas (líquidas), um ácido é uma substância que doa íons hidrogênio (H+) a alguma outra substância (Tisdale et al., 1993).

O pH é expresso na escala logaritmo negativo da concentração, na escala variando de 0 a 14, onde o 7 é o estado de neutralidade. Portanto, pH = 4,0 = -log (0,0001), onde cada mudança de número (por exemplo, de 5.0 para 4.0) representa um aumento de 10 vezes no concentração de íons H+.

Essa escala é importante, pois a absorção de nutrientes está diretamente relacionada ao pH. Quanto mais próximo da neutralidade (pH 7) maior é a disponibilidade de nutrientes. 

Relação entre o pH e a disponibilidade dos elementos no solo Fonte: Malavolta, 1979

Isso ocorre pois os íons de H+, que tem alto poder de troca catiônica e se liga aos nutrientes dissolvidos na solução do solo, começam a serem neutralizados pela concentração do OH

Por que devemos fazer a calagem?

Já sabemos que a correção da acidez do solo pela calagem é uma técnica que aumenta a produtividade. Mas por que devemos sempre estar verificando a acidez do solo e quando necessário corrigi-lo?

A resposta é simples, existem fatores e processos dinâmicos que estão sempre contribuindo para aumentar acidez do solo, e vamos discutir a seguir.

Um dos exemplos é a chuva, a medida que as chuvas chegam ao solo,  bases (íons carregados positivamente) como cálcio (Ca²+), magnésio (Mg²+), potássio (K+) e sódio (Na+) são lixiviados dos solo e são substituídos por hidrogênio (H+). 

As próprias plantas, quando absorvem os nutrientes de base catiônicas, causam um desequilíbrio da solução do solo, proporcionando maior quantidade de íons H+. E também pela aplicação de fertilizantes com poder acidificante.

No entanto, é preciso fazer a análise de solo antes de cada safra, verificando se realmente há acidez e calculando corretamente a sua dose.

6 efeitos da calagem no solo

Como falamos anteriormente, corrigir a acidez do solo está diretamente relacionado à maior produtividade e maior disponibilidade de nutrientes para serem absorvidos pela planta.

Além da função principal que é elevar o pH do solo, a calagem tem outros efeitos positivos no solo, envolvidos em processos químicos, biológicos e físicos.

Desse modo, apresentamos a seguir 6 efeitos que estão envolvidos no processo de calagem:

Aumento da mineralização de matéria orgânica

A calagem favorece o aumento da atividade microbiana no solo, que por sua vez aumenta a mineralização da matéria orgânica, fazendo com que os nutrientes que estavam imobilizados, sejam disponibilizados para as plantas.

Aumento da Nitrificação (N amoniacal → Nítrico)

É o processo de oxidação do amônio a nitrato, forma menos fixada pelo solo e que as plantas preferem absorver o nitrogênio. 

Tal processo é realizado oxidação exige um número abundante de bases trocáveis, o que não é encontrado em solos ácidos. As bactérias responsáveis pelo processo de nitrificação retiram energia da oxidação, por isso, a calagem favorece a atividade microbiana.

Fornecimento de cálcio e magnésio

A calagem é fonte de cálcio e magnésio. O Ca é responsável por estimular o crescimento das raízes que por sua vez promove  uma maior exploração da água e dos nutrientes do solo, auxiliando a planta na tolerância à seca.

Já o Mg tem como função ser átomo central da molécula de clorofila, diretamente ligado fotossíntese, participando dos processos metabólicos como a formação de ATP nos cloroplastos.

Neutralização de alumínio e aumento da saturação por bases 

Equações envolvidas no processo de correção da acidez
Equações envolvidas no processo de correção da acidez.  Fonte: IPNI

Como vemos na equação acima, os íons presentes na forma do calcário,tem como produto final da hidrólise a formação de Al(OH)3 ,que é a forma neutralizada do alumínio trocável, forma não assimilável pelas plantas, por ser insolúvel.  

Além disso a CTC que era bloqueada pela pelo hidrogênio, passa a ser CTC efetiva, aumentando a saturação por bases (V%). Com a neutralização do íon H+ que estava adsorvido pela CTC, ocorre a elevação do pH do solo.

Menor disponibilidade de metais

Os metais, Cu, Fe, Mn e Zn são micronutrientes essenciais às plantas e nós já sabemos. 

Esses micronutrientes são mais disponíveis às plantas em solos mais ácidos e sua disponibilidade vai caindo conforme o pH do solo aumenta. 

Mas isso não é ruim, pois esses metais podem causar fitotoxicidade em quantidade elevadas. Desse modo, como são necessários em quantidade menores, o aumento do pH e menor disponibilidade pode ser positivo.

Mas sempre devemos assegurar para que esses nutrientes não faltem à planta. Principalmente Zn, que é comumente deficiente em solos brasileiros.

Maior disponibilidade de fósforo pela calagem

Como sabemos, o P disponível para as plantas está na solução do solo, mas apenas pequenas quantidades dele estão presentes na solução na  forma química de ion ortofosfato (H2PO4 ).

Deste modo o fosfato pode ser adsorvido por meio de troca de ligante com o estabelecimento de ligações de alta estabilidade com Fe e Al, dificultando assim a liberação desse nutriente para a solução do solo.

Assim, a calagem, cuja elevação do pH proporciona aumentos na atividade e concentração dos íons OH em solução, promovendo assim redução na formação de ligações P-Fe e P-Al, ficando disponíveis para as plantas.

Atenção: o cálcio não corrige acidez do solo!!

O que precisamos saber é que não é o cálcio que promove a correção do solo e sim os ânions formados pela sua ligação com o carbonato.

Aplicação de Calcário
Fonte: Cerrado Rural

Um exemplo são os superfosfatos, em que tanto o Superfosfato Simples – Ca(H2PO4)2.2CaSO4 e quanto o Superfosfato Triplo – Ca(H2PO4)2, possuem cálcio na sua formulação, mas não atuam como corretivo de solo.

Outro exemplo são os Termofosfatos que diferentemente dos superfosfatos, conseguem sim elevar o pH de um solo ácido, uma vez que esses possuem silicatos em sua composição. 

No entanto, deve-se mencionar que para que esse aumento no pH seja significativo uma dose muito elevada de termofosfato deve ser aplicada o que financeiramente inviabiliza a operação.

Além disso, ao contrário do que muitos pensam a gessagem não tem como função corrigir o pH do solo. Esse processo é realizado principalmente para insolubilizar formas fitotóxicas do alumínio presente no solo, confira mais sobre gesso aqui.

Você conhecia esse efeitos que a calagem proporciona no solo? Ficou alguma dúvida? Conte para nós.

Elaboração do artigo: Especialista Agrotécnico pelo Emergir Agropecuário.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.