fbpx
Imagem Fósforo : Elemento-chave

Fósforo para plantas: o elemento-chave

Fósforo para plantas: tudo o que você precisa saber sobre as funções, deficiência na planta e fontes fosfatadas.

O fósforo é um dos nutrientes mais estudados na agricultura e a justificativa é seu impacto direto na produção, além da imobilização no solo que dificulta sua disponibilidade.

Sua função é vital para todos os organismos e isso não é diferente para as plantas. 

Nelas, sua função principal está relacionada ao desenvolvimento vegetal. Pode ser considerado como o elemento chave da vida porque entra em todos os processos onde houver movimento.

Devido a essa importância, todo profissional do campo, recém formado ou não, deve conhecer suas funções, as melhores formas de fornecer esse elemento ao sistema e a identificar a deficiência de fósforo. Confira tudo isso e mais a seguir!

Funções do fósforo para plantas

O fósforo (P) compõe a lista dos 17 nutrientes essenciais assim como o nitrogênio ou mesmo o potássio para plantas

As funções que desempenha no crescimento das plantas não podem ser realizadas ou substituídas por outro elemento. Por isso, o fornecimento adequado desse macronutriente é fundamental para o crescimento das culturas e a reprodução.

O fósforo (P) faz parte da regulação da síntese proteica, é parte da estrutura dos ácidos nucléicos das plantas. Outra atuação do elemento é que o fósforo para as plantas permite um desenvolvimento adequado das raízes e aceleração da maturidade.

Esse elemento também desempenha uma função importante no crescimento de novos tecidos e divisão de células. As plantas realizam transmissões complexas de energia, uma função que requer fósforo.

Trataremos a seguir de funções mais específicas, para que você possa entender melhor os processos que esse elemento desempenha nas plantas.

Mas antes, vamos ver como ocorre a captação e transporte do elemento pela planta:

Captação e Transporte de fósforo 

Tudo começa na captação e transporte o P no solo, que pode ocorrer por vias assimiláveis ou por adsorção.

O fósforo entra no planta através de pêlos radiculares e as camadas mais externas de células-raiz. A captação também é facilitada por fungos micorrízicos que crescem em associação com as raízes das culturas.

Uma vez dentro da raiz, o P pode ser armazenado na própria raiz ou transportado para as partes superiores da planta.

Através de várias reações químicas, é incorporado em compostos orgânicos, incluindo ácidos nucléicos (DNA e RNA), fosfoproteínas, fosfolipídios, açúcar fosfatos, enzimas e compostos de fosfato ricos em energia, por exemplo, adenosina trifosfato, a famosa ATP. 

É nessas formas orgânicas, bem como o íon fosfato inorgânico, que o P é movido por toda a planta, onde ficará disponível para outras reações.

Reações de energia para a planta

O fósforo desempenha um papel vital em praticamente todo processo da planta que envolve transferência de energia. 

É fonte de alta energia para as estruturas químicas da adenosina difosfato (ADP) e ATP, é a que impulsiona tantas outras reações químicas dentro da planta. 

Quando ADP e ATP transfere a alta energia vinda do fosfato para outras moléculas (denominada fosforilação), proporciona a base para muitos outros processos essenciais ocorrerem.

Fotossíntese

Nós sabemos que a reação química mais importante na natureza é a fotossíntese. ela utiliza a luz como energia e na presença de clorofila transforma dióxido de carbono e água em açúcares simples, com a energia sendo capturado na ATP. 

A ATP está disponível como fonte de energia para muitas outras reações que ocorrem dentro da planta e os açúcares formados são usados ​​como blocos de construção para produzir outros componentes estruturais e de armazenamento de células.

Transferência Genética

O fósforo é um componente vital da substâncias que são bases para construção de genes e cromossomos. Portanto, é uma parte essencial do processo de transportar o código genético de geração a geração seguinte, fornecendo o “modelo” para todos os aspectos do crescimento e desenvolvimento.

Um fornecimento adequado de P é essencial para o desenvolvimento de novas células e transferência do código genético de uma célula para outra à medida que novas células são formadas. 

Grandes quantidades de P são encontradas nas sementes e nos frutos, onde acredita-se essencial para a formação de novas sementes e desenvolvimento. O fósforo também é um componente da fitina, uma das principais formas de armazenamento de P nas sementes. 

Cerca de 50% do total de P em plantas leguminosas, estão nas sementes e em grãos e cereais 60 a 70% é armazenados como fitina ou compostos intimamente relacionados. Portanto, um déficit de P pode reduzir tamanho, número de sementes e viabilidade.

Transporte de Nutrientes

As células vegetais podem acumular nutrientes em concentrações muito maiores do que as presentes na solução do solo. Isso permite com que as raízes extraiam nutrientes da solução do solo mesmo que em concentrações muito baixas.

Esse movimento de nutrientes dentro da planta depende em grande parte do transporte através da membrana celular, o que requer energia para se opor às forças da osmose. Aqui, novamente, ATP e outros compostos P de alta energia são essenciais no processo.

Formas de P no solo

Por ser macronutriente, o fósforo é exigido em um quantidade relativamente maior para as plantas, o que significa que é frequentemente deficiente em solos utilizados para produção agrícola.

Essa deficiência comumente encontrada é resultado desse elemento ser facilmente fixado em ligações insolúveis no solo. Geralmente só 1% de P no solo é disponível. 

O P encontra-se no solo na fase sólida (formas orgânicas e inorgânicas) e na fase líquida em formas inorgânicas na solução do solo. A forma chamada disponível é o somatório do P adsorvido com o assimilável, que explicaremos a seguir.

A maioria dos nossos solos têm forte capacidade de converter o fósforo assimilável em fósforo precipitado, ou seja, fixado por ligações com outros elementos como cálcio, ferro ou alumínio, formando compostos não assimiláveis pelas plantas (P- não lábil).

Através da atividade microbiana (saiba mais sobre a microbiologia do solo aqui), e o manejo correto do solo, lo P é liberado para a solução do solo.

Na solução do solo o P é encontrado em pequenas quantidades nas formas de H2PO4 e  H2PO42-  que é quando o P torna-se assimilável, sendo a forma mais absorvida pelas plantas. 

Ciclo do fósforo
Fonte: University of Illinois

Fontes de fósforo para plantas e época de adubação

Grande número de estudos, em muitas espécies, têm mostrado que o fornecimento de P na fase inicial da planta é fundamental para o ótimo rendimento da cultura.

Portanto, a forma mais indicada de se fornecer fósforo para plantas em solos que apresentam deficiência para suprir as necessidades da cultura, e de acordo com a produção esperada, é mesmo na semeadura

Visto que o P age desde as fases iniciais da cultura, a aplicação na semeadura permite que a adubação fique ao lado e abaixo da semente (aplicações de arranque). 

Aliás, esse efeito positivo na cultura também é visível em solos com níveis de P relativamente altos (isto é, com um histórico de adubação com P), onde a aplicação de P e N no sulco de semeadura produz excelentes resultados.

Como você percebeu, pela importância desse nutriente, pela sua imobilização e pela deficiência comum do P nos solos brasileiros, precisamos colocar P no sistema de produção.

Os adubos são obtido através de tratamentos ácidos e de temperatura nessas rochas, como exemplos os superfosfatos, termofosfatos, MAPs e DAPs.

Fonte: Ministério da Agricultura, disponível em Unesp

Adubação de fósforo para plantas

A adubação de fósforo é um tema extenso e depende bastante da cultura, por isso merece outro artigo aqui em nosso blog.

Mas, é importante falarmos que existe dois tipos de adubação para esse elemento: a de manutenção e a corretiva (a fosfatagem).

Enquanto a de manutenção busca apenas dar ao sistema o que foi tirado pela cultura, a corretiva (fosfatagem) é praticada quando os níveis de fósforo são muito baixos ou baixos, buscando aumentar o teor do nutriente no solo da área como um todo.

A fosfatagem total nada mais é que a aplicação de adubo fosfatado a lanço e incorporados na camada arável (geralmente atpe 20 cm de de profundidade, mas pode ser em camadas mais profundas). Lembre-se que a fosfatagem total não dispensa a adubação de fósforo no sulco de plantio

Sintomas de deficiência de fósforo para plantas

Como sabemos, a falta de fósforos para planta no início do desenvolvimento restringe o crescimento, condição da qual a planta não mais se recupera e Isto limita a produção.

A falta de P no período mais tardio do ciclo tem muito menor impacto na produção da cultura do que a no início.

Quando P é limitador, o mais impressionante efeitos são uma redução na expansão foliar e da superfície da folha, bem como o número de folhas.

O crescimento da parte aérea é mais afetado que o crescimento da raiz. No entanto, o crescimento radicular também é reduzido pela deficiência de P, levando a menos massa radicular para alcançar água e nutrientes.

Geralmente, a deficiência de P nas plantas diminui a velocidade processos de utilização de carboidratos, mas a produção continua através da fotossíntese. Isso resulta em um acúmulo de carboidratos e o desenvolvimento de uma cor verde escura na folha. 

Em algumas plantas, a deficiência de P folhas desenvolvem uma cor roxa, como por exemplo plantas de tomate e milho. 

Sintoma de deficiência de fósforo na folha de milho
Fonte: Yara

Como P é móvel na planta, quando ocorre uma deficiência, o P é translocado de tecidos mais velhos para tecidos meristemáticos ativos. O resultado disso é o aparecimento de sintomas na parte mais baixa da planta. 

Excesso de fósforo nas plantas

Vale lembrar, que a toxidez pelo excesso de fósforo nas plantas é raro pois ele facilmente se fixa aos colóides do solo ficando indisponível.

No entanto, ressaltamos que os sintomas por excesso de fósforo no solo é caracterizado por acelerar a maturação e aumenta a estabilidade dos caules.

Conclusão 

Como vimos, não é a toa que o fósforo para plantas é essencial e além disso é considerado macronutriente, como o nitrogênio para plantas e outros elementos.

Vale lembrar que sempre que pretendemos plantar algum tipo de cultura, devemos fazer a análise química do solo e garantir que as doses de nutrientes necessárias desta cultura será atendida. 

O fósforo, principalmente, pela sua condição no solo deve ser fornecido no plantio, ou mesmo com a fosfatagem. Há quem forneça também por via foliar. 

Cabe ao profissional entender seu ambiente e promover a melhor decisão para alcançar altas produtividades e assim gerar lucro.

Você gostou dessas informações sobre fósforo para plantas? Ficou alguma dúvida? Escreva um comentário abaixo.

Elaboração do artigo: Especialista Agrotécnico pelo Emergir Agropecuário, engenheiro agrônomo e especialista em marketing no agronegócio.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.